O Cacique - lider tribal.

quinta-feira, julho 29, 2004

Não consigo mandar um mail


Ao valete frates.

Em relação ao post "Multilateralismo Vs arrogante unilateralismo", onde descreve as contribuições para o Sudão dos Estados Unidos, queria fazer notar que a soma das contribuições dos países da UE (não contando com Suiça e Noruega), a partir da fonte por ele consultada, ascende a perto de 60 000 000 Us Dolars (+/- 59 milhões).

A partir da mesma fonte, que pode ser consultada aqui, (Table VI: Total Humanitarian Assistance for Sudan 2004), podemos concluir que 210.631.000 Us Dolars face a 190.046.000 Us Dolars dos Estados Unidos são a contribuição de todos os países Europeus+Comissão Europeia - Noruega e Suiça.

Não digo com isto que tem de existir uma confrontação com os Estados Unidos em termos de ajuda humanitária, mas digo que a Europa devia fazer melhor Marketing. O espaço europeu continua a ser maior em termos populacionais, mas, per capita, consulte-se este gráfico.

Country Description Amount
1. Luxembourg $352.30 per person
2. Norway $307.95 per person
3. Denmark $302.72 per person
4. Netherlands $216.71 per person
5. Sweden $191.48 per person
6. Switzerland $150.30 per person
7. France $104.68 per person
8. United Kingdom $74.88 per person
9. Belgium $74.25 per person
10. Finland $73.01 per person
11. Ireland $72.11 per person
12. Japan $71.53 per person
13. Germany $67.96 per person
14. Austria $50.07 per person
15. Australia $45.30 per person
16. Canada $40.36 per person
17. Spain $33.07 per person
18. Portugal $26.82 per person
19. New Zealand $25.23 per person
20. United States $23.76 per person
21. Italy $17.24 per person
22. Lesotho $0 per person
23. Saudi Arabia $0 per person
24. Korea, South $0 per person
Weighted Average $52.32 per person


Definition: The net official development assistance (ODA) from Organization for Economic Cooperation and Development (OECD) nations to developing countries and multilateral organizations. ODA is defined as financial assistance that is concessional in character, has the main objective to promote economic development and welfare of the less developed countries (LDCs), and contains a grant element of at least 25%. The entry does not cover other official flows (OOF) or private flows. Per capita figures expressed per 1 population.

Source: CIA World Factbook, December 2003


Devemos ter um maior balanço quando criticamos a Europa... Apesar de tudo, e de estar muito atrás em muitas áreas, na questão humanitária não devemos guerrear-nos. Obviamente, não podemos também criticar os E.U.A. pelo auxílio, mas pedir simplesmente que sejam tão generosos como nós.

Evidentemente, em todos estes gráficos, não consta qual o valor de empréstimos por parte da Europa a outro pequeno país á beira-mar plantado. Aí, usa-se com a máquina do Estado a estratégia do apaziguador: Alimentá-la, á espera de ser devorado em último lugar.

quarta-feira, julho 28, 2004

Este blog é liberal, mas.


Começou este post por ser um comentário a este post do João Miranda. Segue na sua total extensão:

Caro João Miranda, pela sua opinião, logicamente:

Se arder um edíficio, no centro da cidade, quem deve ser responsável pela sua extinção são os habitantes ou empresas que o utilizam.

Se arder uma faculdade, deve ser ela a dotar-se dos meios necessários para a sua defesa, ou a solicitar a acção de uma empresa privada.

Se ocorrerem cheias no Douro, devem ser todos os residentes da Ribeirinha a arcarem com os custos de manutenção, e a organizar a sua própria evacuação.

Em caso de terramotos, deveriam existir empresas especializadas capazes de, segundo um princípio utilizador-pagador, salvar as vítimas.

Tal como a liberdade acaba onde a liberdade dos outros começa, a responsabilidade individual pela salvaguarda dos bens de outros começa onde a sua capacidade de resolver os assuntos acaba, e ameaça os nossos próprios bens.

Existe um limite ao liberalismo. Quando são necessários esforços sobre-humanos, o que é chamado estado de calamidade pública, ou catástrofe. Para isso, é necessário ter uma defesa bem organizada: Uma estrutura militar, que permita acções rápidas e decisivas. Uma cadeia de comando onde não sejam permitidas opiniões, ou hesitações. Perante situações de emergência, o país precisa de defender-se.

Como digo, a defesa face a calamidades, como os incêndios, devem ser coordenadas militarmente, pelo simples facto de a comunidade (região, país, continente) ser afectada. Quando existe um incêndio, um terramoto, cheias, os danos não se limitam aos proprietários que são afectados, mas, em última análise, todo o país, ou região é afectada.
Exemplo de algo ténue, mas significativo no rendimento no trabalho? Os dias pós-incêndios em Valongo no Porto: O ar pesado, o aumento da temperatura, a neblina que afecta a disposição das pessoas, e também atrasa vôos de avião (aconteceu-me recentemente).

O liberalismo encontra os seus limites quando o indíviduo não é capaz de vencer o desafio que se lhe coloca. E que só consegue ultrapassar juntando-se e encontrando os meios na sua comunidade. Já a distribuição de propriedade florestal é um outro assunto: Tem a absoluta razão, e é algo que deve ser liberalizado. Porque pura e simplesmente, é algo que só beneficia/prejudica quem está envolvido nos respectivos negócios. Incêndios, terramotos, cheias, obrigam-nos a solidariedade.

terça-feira, julho 27, 2004

Portugal


Acabo de chegar de Portugal.

Lá continua, como o retrato final dos Maias. As pessoas envelhecem, os sítios mudam/continuam, toda uma lenta pasmaceira estranhamente sedutora.

Mas há que agitar o corpo, e livrar rapidamente da doçura do regresso.

Mais 2 semanas, e voltava tudo ao mesmo.

quinta-feira, julho 22, 2004

A comunidade IGBT


The Insulated Gate Bipolar Transistor combines the simple gate drive characteristics of the MOSFET with the high current and low saturation voltage capability of bipolar transistors by combining an isolated gate FET for the control input, and a bipolar power transistor as a switch, in a single device.

The IGBT is a recent invention. The "first-generation" devices of the 1980s and early '90s were relatively slow in switching, and prone to failure through such modes as latchup and second breakdown. Second-generation devices were much improved, and the current third-generation ones are even better, with speed rivalling MOSFETs, and excellent ruggedness and tolerance of overloads.

The IGBT is mainly used in switching power supplies and motor control applications. The extremely high pulse ratings of second- and third- generation devices also make them useful for generating large power pulses in areas like particle and plasma physics, where they are starting to supercede older devices like thyratrons and spark gaps.

These high pulse ratings, and low prices on the surplus market, also make them great fun for the hobbyist, who can now generate colossal amounts of high-frequency power to drive experiments like Tesla coils.


Lá no fundo, são iguais a todos os outros: Baseiam-se em FET (Field Effect Transistors) e BJT (Bipolar Junction Transistors). Silício, pois claro!

A comunidade LGBT é parecida... despeja por cada indíviduo mais tinta nos jornais do que milhares de outros cidadãos. Mesmo sabendo que são iguais a todos os outros.

quarta-feira, julho 21, 2004

Novidades


Quero manter-me a par do grande acontecimento do próximo fim de semana, por não poder infelizmente participar...

O grande I Monumental Circo de Verão!

Em especial tenho pena de não poder participar nos debates e aprender algumas coisas em temas como:
"Homosexuais - O Holocausto Escondido"
"Desobediência Civil"
"É pró menino e prá menina: a construção do género"
"Lutas Estudantis"
"Lutas Sindicais"

E confraternizar com gente como: Francisco e António Louça, Chico Furtado, Alda Sousa, a Cecília?, ou o Mário Tomé.

Isto de estar por fora do país tens as suas desvantagens, mas espero que haja transmissão internacional para o grande evento do ano. Afinal, não ganhamos o Euro2004, por isso, o futebol é para esquecer! :)

PS: Será que a polícia aceita informações anónimas relacionadas com tráfico de estupefacientes? Um amigo de um tio de um primo da viznha de uma amiga da cunhada do sobrinho da avó da senhora do cabeleireiro onde vai a prima do marido de uma colega de trabalho falou qualquer de aumento degrau de Heavyside (0 para muito) em S. Gião (Serra da Estrela). Será que tem a ver com o I Monumental Circo de Verão?

Questões fracturantes


O Valete Frates é um dos melhores blogs portugueses.

Acima de tudo apresenta argumentos irrefutáveis para as suas convicções, como este.

Lido o valioso artigo, fica á consideração de cada um avaliar se quer mudar a Constituição da Républica Portuguesa:

TÍTULO II
Direitos, liberdades e garantias

CAPÍTULO I
Direitos, liberdades e garantias pessoais

Artigo 24.º
(Direito à vida)

1. A vida humana é inviolável.

2. Em caso algum haverá pena de morte.

Artigo 25.º
(Direito à integridade pessoal)

1. A integridade moral e física das pessoas é inviolável.

2. Ninguém pode ser submetido a tortura, nem a tratos ou penas cruéis, degradantes ou desumanos.


Os fetos são seres humanos. É a minha opinião nesta questão fracturante.

Como tal, para o aborto resta uma solução: mudar a Constituição. Isso mesmo: O capítulo I do Título II. Tirar o direito mais elementar da humanidade: o direito á Vida.

quinta-feira, julho 15, 2004

Carácter


Ainda há pessoas com carácter.

Para Pacheco Pereira, merecidamente:


Crédito imagem: ESA/NASA Hubble Telescope


A atitude de Pacheco Pereira perante as circunstâncias é uma condição "sine qua non" para ser cacique. Coerência, hombridade, dignidade.


PS: Por outro lado, outros fazem comentários espatafúrdios, demonstram uma agitação invulgar... Atitudes como as de JPP deixam certamente algumas mentes perturbadas, algumas consciências pesadas. Ninguém gosta de ver nos outros aquilo que não tem: Coerência, hombridade, dignidade.

Vítor Cunha parece-me infeliz ou absurdo. Ao lê-lo, recorda-me um caciqueiro a estrebuchar. Num estilo não muito elegante, ainda para mais. Devia recentrar as suas obcessões, ou encontrar argumentos válidos.

Felizmente, a força dos gestos é avassaladora. Só há uma maneira, e está a resultar!!!

Post número 2


É verdade. Digamos que o nível de competência e capacidade tenha vindo a decrescer desde Cavaco Silva. Uma mais valia pela qual ele ficará para a história.

Explique-se, então, onde estão alguns caciques deste país. Alguns deles bons. Estão felizes e contentes, longe de todas as confusões que é governar um país em que volta meia volta surge um idiota qualquer que gera polémica porque ainda há gente que dá credibilidade sem raciocinar. E, claro, há a polémica correcta, que faz parte do mundo da política.

E uma das razões para isto, entre outras (incluindo a questão da paciência), é o facto de pagarmos muito mal os cargos políticos - refiro-me, pelo menos, aos de topo. Senão, veja-se: muitos dos cérebros competentes estão em cargos importantes em diversas organizações e empresas. Ganham uma quantia monetária adaptada ao cargo que desempenham. Agora imagine-se que convidam o elemento X, presumivelmente competente para exercer um cargo governativo, por - em escudos - 600 contos por mês (não deve estar longe da realidade). Acontece que o X ganha 1000 ou 2000 contos por mês, se não for montante superior. Vai aceitar?
Isto passa-se com o Santana Lopes, que não estava num cargo privado. Em termos gerais, vai ganhar menos como PM do que como presidente da Câmara de Lisboa. Politiquices.....e dinheirices.

quarta-feira, julho 14, 2004

ah!


E lá ficamos sem António Borges. Uma vez mais. De facto, pessoas competentes ao serviço da nação, desde Cavaco Silva, não há.

Talvez Rui Rio. Talvez. Ainda não me decidi se ele é cacique ou caciqueiro...

Mas onde estão os caciques deste país?

Quick, que tenho de trabalhar


A minha ronda pelos blogs diários mostra uma esquerda desconcertada, uma direita á procura da sua identidade, e uma pujança devastadora por parte dos liberais!!!

O Jaquinzinhos em particular, hoje, decidiu desfazer qualquer dúvida que persistisse relativamente ao "peso excessivo do estado". Ali está, preto no branco brilhante do ecrã do computador! Desmascarado um dos ninhos de caciqueiros. Os que persistem em ficar.

Tenho uma sugestão:

Eu não me importo que tanta gente trabalhe para o ministério da Agricultura, desde que seja em regime de voluntariado. Será que os conseguem convencer a prestar esse honroso serviço á nação?

Porque não tenho a menor dúvida que todos eles estão lá por amor aos campos, aos cavalos, aos suínos e oliveiras.

segunda-feira, julho 12, 2004

Ministério da Economia no Porto


Acho uma medida populista.

Contudo, o Ricardo hoje lembrou bem: E se resultar? É claro que é uma experiência que pode sair cara. Mas, porque não?

Vejamos:

- A maior parte das indústrias de gestão familiar (consequentemente, a precisarem de uma maior lavagem cerebral), estão no Norte.
- Daniel Bessa, Artur Santos Silva, Belmiro de Azevedo, só para citar 3 nomes, são exemplos da excepcional, credível e capaz massa humana existente entre Vouga e Minho.
- O Ministério da Economia necessita, forçosamente, de ser moderno: menos burocrático, mais flexível, capaz de agir e reagir em tempo real a qualquer situação.
- Na Alemanha, Frankfurt, coração da Europa, não é capital de Essen. O poder político está a 200 km, em Wiesbaden.
- Sair de Lisboa significa menos caciquismo a curto prazo. As máquinas instituídas, pesadas e com uma intricada rede de ligações inter-pessoais seriam quebradas e rejuvesnecidas.

Porque não?

Breve e em breve


Serei breve:

As notícias sucediam-se em catadupa enquanto estavamos numa estação de serviço algures entre München e Salzburg.

Lentamente, iamos explicando aos nossos companheiros de viagem o que se jogava, o que estava em causa. Eles não percebiam porquê tanta excitação, tanto rodopio em torno do telemovel encarregue de receber as notícias.

Sinceramente, também eu não percebo o porquê. Que importa quem lá está? O mundo não continua a girar da mesma forma? Os rios que banham Taxenbach não vão continuar a correr?

Chegamos a uma conclusão: Os políticos são iguais em todo o lado. Quanto mais velha é a democracia, mais a máquina, o sistema partidário, se aperfeiçoa para permitir que subam apenas os trôpegos, sôfregos, e aldrabões.

A política é um ninho onde pululam cucos. Em breve, explico-me melhor.

sexta-feira, julho 09, 2004

Acredita, Daniel, acredita.....


... que isto, por estas bandas, cada vez soa pior. Jorge Sampaio convocou para hoje o Conselho de Estado, às 11h, e a reunião durou 4h. Não é obrigado a fazê-lo, mas é um pré-requisito para dissolver a Assembleia. Sobre as conclusões tiradas, ainda nada disseram.
Claro está que, a dissolver o Parlamento, seremos a anedota da Europa, e a anedota de nós próprios. 'Enviamos' um político que reuniu o consenso da Europa para a Presidência da União Europeia - e que impressionou muito positivamente a imprensa internacional -, damos provas que conseguimos organizar um evento em grande escala, estamos em recuperação económica, e, para finalizar, falhamos catastroficamente ao dissolver o Parlamento quando, claramente, não há razões imediatas para isso. Sim, anedótico.
Não há razão para grandes complicações. Só as há se as criarmos. E por isso, quando o Ferro Rodrigues diz que há razões para eleições antecipadas porque estamos numa "crise política grave", que pense bem - o que, em última análise é complicado para esta personalidade - que quem está a criar a crise é ele! Caso contrário, com polémica sustentável que se gera sempre, as coisas iam em frente.
Aliás, mais curioso: após todas as notícias relacionadas com este tema, a que se seguiu foi a do crescimento da economia, a qual, segundo o Presidente do Banco de Portugal, cresceu mais 0.5% a nível interno do que o esperado. É de prever que o crescimento da economia - que as empresas já começam a sentir, há cada vez mais procura de serviços - se faça sentir positivamente nos bolsos dos Portugueses em 2005.
Pergunto eu: estão os portugueses dispostos a arriscar perder dois anos de sacríficio que estão a dar frutos e arriscar hipotecar o futuro? Vamos para um governo de gestão e adiar eleições para Outubro, provavelmente? Vamos ficar sem governo de maioria? Vamos.... para trás?

Eu não acredito


Não posso acreditar em mim próprio. Só diz disparates, mas desta vez fez-me definitivamente dizer "não" a eleições antecipadas:

Para o governante e líder do PSD madeirense, uma eventual decisão de convocar eleições legislativas antecipadas "toca o anedótico". "É a risada da Europa, ver que um país periférico como Portugal dissolve o Parlamento só porque o seu primeiro-ministro foi para presidente da Comissão Europeia", afirmou.

in Publico


De facto, 230 deputados terão de ser substituídos. Por causa de 1 homem. Esta desproporção, efectivamente, toca o anedótico. Bem, talvez dos 230 apenas metade trabalhe e seja de facto representante de quem os elegeu, mas ainda assim, são 230. Por causa de um homem. Fora ministros, dança de Secretarias de Estado e por aí abaixo.

Isto não obstante considerar que Pedro Santana Lopes não é a pessoa indicada para dirigir o país. Melhor que Ferro Rodrigues, é certo, mas será que Manuela Ferreira Leite ou Morais Sarmento não estão disponíveis? O presidente do PSD não tem de ser PM...

quarta-feira, julho 07, 2004

José Roquette


Como não quero ficar para trás do Acidental e do Blasfémias, decidi contratar reforços.

Contudo, não sou nenhum Abramovich, nem ouso ser. Creio que a posta certa é na formação e, sinceramente, creio que este jovem em particular poderá estontear qualquer adversário, ou mesmo os próprios colegas de equipa.

Bem vindo, Gustavo!

Arrogância


Para mim, isto é arrogância e irresponsabilidade.

Não sei se quero voltar a Portugal se este senhor for o garante da estabilidade de um hipotético governo PS. Não concordo com Pedro Santana Lopes, mas peço ao Acidental que redobre os esforços para impedir esta tragi-comédia!!! Estou convosco, a partir do momento em que li esta notícia!


PS: Para mim, tudo se teria decidido de forma bastante melhor se o PSD tivesse encontrado alguém credível para governar: Manuela Ferreira Leite, Cavaco Silva, Marcelo Rebelo de Sousa. Estou a escolher entre o mau e o pior. E isso não é bom para a Democracia.

Notas sobre o BE, PSL, política e futebol.


Acho que o assassinato político do Bloco-conglomerado da esquerda (tanto dá até que fura, ou se esfrangalha) ocorrerá no momento em que distribuir os tachos generosamente distribuídos pelo PS.

Nessa altura, gostava de os ver a tentar jogar á defesa. A exigir o fim das Forças Armadas Portuguesas. A dar o dinheiro que não têm aos grupos de cultura left-snob.

A política não é como o futebol. Eu gosto que se joga á defesa quando se gerem dinheiros públicos. Uma política com poucas fintas, com pouco espectáculo, eficaz e objectiva.

Por isso é que também não gosto de Pedro Santana Lopes. A única razão pela qual o aceito é ser a estrela atacante solitária da nossa equipa. O resto, espero eu, é tacticamente irrepreensível, diz o que tem a dizer no balneário, deixa tudo no campo. É mecânica, e preocupa-se em construir a base que permita o brilho dos homens lá da frente.

Mas temos de pensar cuidadosamente: Queremos um governo construído ao redor de Santana Lopes, ou Santana Lopes integrado no Governo? Como reserva que substitui um Durão Barroso que não marcou golos?

terça-feira, julho 06, 2004

Física


Como é possível que as duas teorias (por sinal antagónicas) que competem para explicar o Universo datem do ínicio do século?

A última revolução tornou os sonhos de Júlio Verne verdade. Para quando o génio que nos vai permitir ir cumprimentar os amigos do outro lado do Universo?

segunda-feira, julho 05, 2004

Balandrau


O que quer dizer "Balandrau"?

Crime Lesa-Pátria


Estive a festejar com os Gregos.

Em pouco menos de 5 minutos, depois da berraria inicial por terem ali os despojos da guerra, já gritavam "Portugal". Passados 15 minutos a festa tinha terminado. Provavelmente, estavam envergonhados com o triunfo do 'catenaccio'.

Afinal, todos nos sentimos contentes quando ingleses e holandeses festejam as nossas vitórias, ainda que derrotados. Enquanto país civilizado, é isto que devemos fazer, não é?

O dia vai ser difícil. Depois de receber os parabéns, é justo receber a comiseração... Comiseração revestida de uma condolência não muito sentida.

Vou receber todos com um sorriso, e aguentar até que alguém me lembre a Sophia. Aí sim, vou chorar.

sábado, julho 03, 2004

Sophia


Não conhecia estas palavras:

"Corajoso é combater o que está à nossa frente e no poder, e só o que é corajoso é divertido."


Estas, já conhecia:

"
Ausência
Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua

Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua."

Sophia de Mello Breyner Andresen

sexta-feira, julho 02, 2004


Meu País Desgraçado

Meu país desgraçado!...
E no entanto há Sol a cada canto
e não há Mar tão lindo noutro lado.
Nem há Céu mais alegre do que o nosso,
nem pássaros, nem águas ...

Meu país desgraçado!...
Por que fatal engano?
Que malévolos crimes
teus direitos de berço violaram?

Meu Povo
de cabeça pendida, mãos caídas,
de olhos sem fé
— busca, dentro de ti, fora de ti, aonde
a causa da miséria se te esconde.

E em nome dos direitos
que te deram a terra, o Sol, o Mar,
fere-a sem dó
com o lume do teu antigo olhar.

Alevanta-te, Povo!
Ah!, visses tu, nos olhos das mulheres,
a calada censura
que te reclama filhos mais robustos!

Povo anêmico e triste,
meu Pedro Sem sem forças, sem haveres!
— olha a censura muda das mulheres!
Vai-te de novo ao Mar!
Reganha tuas barcas, tuas forças
e o direito de amar e fecundar
as que só por Amor te não desprezam!

Sebastião da Gama


Lá fora troveja.

Zeca Afonso e Sérgio Godinho


"Somos filhos da madrugada."
"Hoje é o primeiro dia do resto da tua vida."

Só tenho uma palavra a dizer sobre tudo isto, e depois calo-me.

Havia alternativas durante estes 30 anos. Houve sempre gente, melhor ou pior que se preocupava mais com o país que consigo e os seus.

A máquina que neste momento controla o poder, PS, PSD, PP, PCP, BE, PCTP-MRPP, CGTP, ND, rádio, televisão, universidades, associativismo, é um caminho tortuoso e caciqueiro. Onde é promovida a incompetência, a ignorância, a mentalidade reles. As pessoas competentes, capazes, com sentido de Serviço, escasseiam ou não estão para se chatear.

Tudo fica bem. Tendo uma Europa, a globalização os melhores podem ir passear as suas qualidades. Estão no seu direito, é pena, mas compreensível. Os carreiristas, vip's, cigarras, ficam contentes: Conseguem chegar mais longe do que as suas capacidades o fariam prever.

Neste momento, Portugal é "uma choldra torpe". Um "lodaçal". Terminou uma geração de políticos brilhantes, consequência da revolução dos cravos, restam papagaios, palradores, um imenso ruído que cala as mensagens directas, claras, necessárias.

Vejo apenas que os melhores, sonhadores, os que têm espirito de serviço são trucidados por estarem confortáveis com as conquistas já feitas. Um dia, vão voltar a ser necessários. Nesse momento, não duvido que os chamem.

Eu quero ser um cacique. Fico á espera que a política precise de mim.


PS: Dito de raiva, cuspido. Quando tiver paciência, quando tiver menos trabalho, apresento as ideias com clareza. Uma coisa é certa: Se para servir o meu país é necessário ser enxovalhado, *NÃO*, obrigado.
PS2: O entardecer chegou, e a noite não tardará. Quando for necessário uma nova madrugada, cá estarei. Ao dispor de todos.

Sunday Bloody Sunday


I can't believe the news today
Oh, I can't close my eyes
And make it go away
How long...
How long must we sing this song?
How long? How long...
'cause tonight...we can be as one
Tonight...

Broken bottles under children's feet
Bodies strewn across the dead end street
But I won't heed the battle call
It puts my back up
Puts my back up against the wall

(...)

And the battle's just begun
There's many lost, but tell me who has won
The trench is dug within our hearts
And mothers, children, brothers, sisters
Torn apart

(...)

Wipe the tears from your eyes
Wipe your tears away
Oh, wipe your tears away
Oh, wipe your tears away
(Sunday, Bloody Sunday)
Oh, wipe your blood shot eyes
(Sunday, Bloody Sunday)

And it's true we are immune
When fact is fiction and TV reality
And today the millions cry
We eat and drink while tomorrow they die

The real battle yet begun (sunday, bloody sunday)
To claim the victory jesus won (sunday, bloody sunday)
On...

Guerra e nervosismo


Decidiram. Assumiram.

Esperemos que não tenham ido para lá da "dead band".

Eu continuo a sonhar com um mundo melhor...

Esteiros


Estados da alma.

"Esteiros, minúsculos canais, como dedos de mão espalmada, abertos na margem do Tejo. Dedos de mãos avaras dos telhais, que roubam nateiro às àguas e vigores à malta. Mãos de lama que só o rio afaga."


quinta-feira, julho 01, 2004

Paz e tranquilidade


Decidam bem. Assumam a postura correcta. A atitude certa.




Mas não falhem. A Cassini, a Mars Express, a Odissey, o Spirit, só tiveram uma oportunidade. A Beagle também. O avanço é também feito de retrocessos, mas neste momento já não podemos voltar atrás.

Coragem para quem a tem de ter, para quem está só, no meio de tantos. É agora que veremos quem é Cacique. Os caciqueiros já os conhecemos...

Para esquecer, esperar e ter esperança


Este comentário infeliz no Acidental (não vejo o porquê de estarem contra Pacheco Pereira quando o combate é a Ferro Rodrigues e Louça), temos isto, para continuar a esperar e ter esperança...



De resto, esta fábula é brilhante e explicativa sobre certos comportamentos...

Os caciqueiros por todo o lado já se pronunciaram. Onde estão os caciques? Continuo á espera de ouvir Rui Rio. Como gostava de assistir à reunião de hoje! Que pena que Teresa Patrício Gouveia não vá estar presente. E não estará? Ou será que vai estar?


PS: Caro Carlos... Rui Rio não está queimado (vide blasfémias). As pessoas sabem distinguir política de futebol, as pessoas sabem distinguir líderes de caciqueiros. Membros de um partido de 'homens' do aparelho. Em especial no norte...

Serenidade


Finalmente compreendi:

A serenidade não são meras palavras. Estou a gostar da postura do Presidente da República.

A avidez de notícias terminou! Posso trabalhar tranquilo, ele escolherá com ponderação. E bem, estou certo.

É outro dos brilhantes líderes que escasseiam...

Emoção II


As primeiras imagens não são espectaculares, não têm processamento sequer. Estaríamos á espera de mais?

Provam que chegamos. Que somos capazes.

No mundo, longe dos grandes feitos, continua tanta mesquinhez...

Emoção


Primeiras imagens dentro de 5 minutos...

A Força


Intrépido.

A "força", conceito lançado pela série de filmes de ficção científica "Guerra das Estrelas", é algo vago, mas omnipresente.

Características:

- Nasce com a pessoa;
- Pode ser usada para o bem, para o mal, ou perder-se sem pelo menos servir alguém ou algo;
- Está presente em todo o lado;
- É muitas vezes, desprezada, diminuída, ignorada;
- É poderosa e devastadora, embora difusa;

Falta força a alguns políticos. Ou faltam políticos. A força, tão presente em Sá Carneiro, Cavaco Silva, Mota Pinto, Eurico de Melo, Marcelo Rebelo de Sousa, está a desvanecer-se. Parece passado. Parece perdida.

Eu acredito que ela existe. Falta descobrir quem está disposto a assumir as lutas dificeis. Falta pô-la ao serviço do bem, da sociedade civil. Quem pensa mais no país que em si. Quem não quer o poder pelo poder, mas o poder para tornar Portugal mais livre, igual, solidário. Liberdade, Igualdade, Solidariedade...

"A New Hope". Esperança não me falta.

A Portuguesa


Desfralda a invicta Bandeira,
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu

Beija o solo teu jucundo
O Oceano, a rugir d'amor,
E teu braço vencedor
Deu mundos novos ao Mundo!

Saudai o Sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco de uma afronta
O sinal do ressurgir.

Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe,
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte.


O que nós nunca cantamos, o que quase ninguém conhece...

Espero o Sol que desponta. O Eco da afronta. Um sinal de ressurgir!

Considerações importantes


Acho que a NASA e a ESA têm sido felizes na escolha dos nomes para as missões interplanetárias.

Conjugam história (Cassini, Huygens, Rosetta, Galileo) com fast food (Venus Express, Mars Express).

O que importa é chegar aqui:

"Space...the final frontier. These are the voyagers of the Star-ship Enterprise.
Its continuing mission: to explore strange new worlds; to seek out new life and new civilizations... to boldly go where no one has gone before."
-Captain Jean Luc Picard


Intrepidamente chegar onde nunca ninguém chegou...


PS: 'intrepidamente' ou 'interpidamente'? Shame on me!

PS2: [actualização] Intrepidamente, de "intrépido". Uff! Ainda não estou assim tão mal :)

Chegamos


O acontecimento mais importante do dia de hoje:


A Cassini já orbita Saturno. O Bernard teve de trabalhar durante a noite.